Canção de ninar, Leïla Slimani


18/02/2019
Aline Nascimento

Quem cuida dos seus filhos quando você não está olhando? Apesar da relutância do marido, Myriam, mãe de duas crianças pequenas, decide voltar a trabalhar em um escritório de advocacia. O casal inicia uma seleção rigorosa em busca da babá perfeita e fica encantado ao encontrar Louise: discreta, educada e dedicada, ela se dá bem com as crianças, mantém a casa sempre limpa e não reclama quando precisa ficar até tarde. Aos poucos, no entanto, a relação de dependência mútua entre a família e Louise dá origem a pequenas frustrações – até o dia em que ocorre uma tragédia. Com uma tensão crescente construída desde as primeiras linhas, Canção de Ninar trata de questões que revelam a essência de nossos tempos, abordando as relações de poder, os preconceitos entre classes e culturas, o papel da mulher na sociedade e as cobranças envolvendo a maternidade. Publicado em mais de 30 países e com mais de 600 mil exemplares vendidos na França, Canção de Ninar fez de Leïla Slimani a primeira autora de origem marroquina a vencer o Goncourt, o mais prestigioso prêmio literário francês.

Essa resenha faz parte do #ProjetoPL
Eles têm a sensação de ter encontrado uma pérola rara, de terem sido abençoados. Claro, o salário de Louise pesa no orçamento familiar, mas Paul não se queixa mais. Em algumas semanas a presença de Louise se tornou indispensável.
Nesse momento ela tem a convicção íntima, a convicção ardente e dolorosa de que sua felicidade pertence a eles. Que ela é deles, e eles são dela.
O bebê está morto. Essa é a primeira frase do livro Canção de Ninar da autora Leïla Slimani; ou seja, não há mistério nessa história, a babá Louise matou duas crianças, crianças que ela deveria cuidar e proteger.

Já sabendo como será o termino dessa história vamos adentrando nas vidas de Myriam e Paul, eles constituiram uma família, são pais de Adam um bebê e Mila de apenas cinco anos. Devido a maternidade Myriam acabou deixando sua vida profissional de lado e dedicando-se integralmente essa nova fase da sua vida, porém ela já senti-se preparada e tem muita vontade de voltar para o mercado de trabalho, desse modo ambos concordam que devem primeiro encontrar a babá perfeita que atenda alguns requisitos. Afinal eles precisam de alguém de confiança para cuidar dos seus filhos.

Após várias entrevistas Louise é a babá escolhida, com o passar dos dias o casal não poderia estar mais feliz com a escolha, Louise se mostra uma babá perfeita não apenas dando conta e disciplinando as crianças como também tornado a casa da família um lugar receptivo e agradável a todos. Consequetemente com tantos cuidados o casal agora consegue ter tempo para eles e dedicar cada vez mais a suas vidas profissionais.

Aos poucos Louise vai tornando-se insubstituível, vai tomando conta do lugar, vai tornando-se algo maior dentro daquela família, em alguns momentos eles se sentem incomodados com tanta liberdade, mas ao mesmo tempo se sente na mão dela, afinal ela torna tudo mais fácil dentro daquela casa. 

O diferencial dessa história é já começarmos sabendo aonde essa trama irá nos levar, mesmo assim continuamos a leitura querendo saber o que levou uma babá cometer um crime tão brutal.

Uma história que vale a pena ser lida.

Observações sobre autora/livro:

Leïla Slimani nasceu em 1981 é uma escritora francesa e jornalista de ascendência marroquina. Em 2016, ela foi premiada com o Prix Goncourt por seu romance Chanson douce. 
Slimani nasceu em Rabat, Marrocos e estudou estudos de ciência política e mídia em Paris. Depois disso, ela considerou temporariamente uma carreira como atriz e começou a trabalhar como jornalista para a revista Jeune Afrique. Em 2014, ela publicou seu primeiro romance Dans le jardin de l'ogro, que dois anos depois foi seguido pelo thriller psicológico Chanson douce. Este último rapidamente se transformou em um best-seller com mais de 450.000 cópias impressas dentro de um ano antes mesmo de o livro ser premiado com o Prix Goncourt. Slimani detém uma cidadania francesa e marroquina.

Canção de ninar foi publicado no âmbito do Programa de Apoio à Publicação 2018 do Instituto Francês do Brasil, contou com o apoio do Ministério Francês da Europa e das Relações Exteriores. A publicação brasileira do selo TusQuets Editores (Editora Planeta) possui um total de 191 página.

Prêmio Goncourt
O Prêmio Goncourt (em francês: Prix Goncourt) é um prêmio literário da França, criado pelo testamento Edmond de Goncourt em 1896. A Sociedade Literária dos Goncourt foi fundada oficialmente em 1902 e o primeiro prêmio Goncourt foi concedido no dia 21 de dezembro de 1903.
A premiação é atribuída a um romance para recompensar todos os anos o melhor livro de imaginação em prosa. É o prêmio literário mais cobiçado na França. Os membros da Academia Goncourt reúnem-se a cada primeira terça-feira do mês no restaurante Drouant em Paris. O nome do laureado é proclamado no início de novembro após um almoço no restaurante.
Quatro outros prêmios são também atribuídos: Prix Goncourt du Premier Roman (primeiro romance), Prix Goncourt de la Nouvelle (contos), Prix Goncourt de la Poésie (poesia) e Prix Goncourt de la Biographie (biografia). Destes "seis grandes" prêmios literários franceses, o Prix Goncourt é o mais conhecido e mais prestigiante.

Comentários via Facebook

7 comentários:

  1. Oi, Aline! Tudo bem?

    Eu já tinha visto fotos deste livro, mas sequer tinha ideia do que ele falava e de verdade, sua resenha me deixou curiosa com a história.
    O fato de já sabermos o final é algo que achei interessante, mas que acho que deve deixar a gente angustiado e só quero saber: por que ela fez isso?

    Sério, quero muito poder ler o livro.

    Beijos,
    Blog Magia é Sonhar
    Canal Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aline.
    Adorei a sua dica. Sem dúvidas parece um livro que nos faz refletir, pensar a respeito e só a primeira frase já é assustadora, e triste. Muito triste.

    Tenha uma ótima noite.
    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha Aline! Estou ansiosa para ler Canção de Ninar! Beijo!


    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  4. Oie!

    Tô doida pra ler esse livro faz tempo, mas esse ano já coloquei ele nas minhas metas literárias. Não vejo a hora de ler!!

    Bjao
    Início de Conversa

    ResponderExcluir
  5. Quero muito lê! Parece ser muito bom.

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, Aline.
    Dei uma passadinha lá no IG e olhei as fotos que você falou. Que sonho! Eu amei os dois livros dele que li e estou ansiosa por esse lançamento. Quanto a resenha, acho que é um livro que mesmo eu sabendo como termina ia ficar na torcida para que não fosse aquilo mesmo hehe. Me interessei em ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Quantas questões delicadas, intensas e importantes! Adorei a sinopse tão diferenciada e a resenha cuidadosa para tratar de tamanhas entrelinhas. Lindeza!

    semquases.com

    ResponderExcluir