Céu sem estrelas, Iris Figueiredo


18/09/2018
Thiago rodrigo

Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento. 
Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.

Quando não vemos estrelas no céu, é preciso buscar a luz ao nosso redor.
O maior medo de Cecília é ser abandonada, esse sentimento de sempre esteve presente em sua vida. Ela não conhece o pai; descobre que o atual namorado de sua mãe a trai e em vez de sua mãe ficar do seu lado, ela acaba escolhendo o padrasto; e pelo fato de ser “gorda” ela luta diariamente com essa insegurança que tem com o seu corpo. O seu maior prazer está nos desenhos e nos livros. Sempre quando está triste e perdida, ela pega um rascunho e desenha o que vem em sua mente. Os livros que ela lê são sempre melancólicos e tristes; então desde o começo da trama já percebemos quais são seus conflitos internos e como ela sofre.

Bernardo é o irmão de sua melhor amiga Iasmim, o qual Cecília sempre teve uma queda, mas por causa de suas inseguranças ela nunca disse o que sente. Mas ela acaba sendo expulsa de casa e passa um tempo na casa de Iasmim, e consequentemente, fica mais próxima dele.

Os dois tem uma paixão em comum a leitura e começam a trocar indicações de livros, Bernardo sente uma curiosidade enorme de conhecê-la mais. Assim nasce um romance entre uma garota que é insegura e um rapaz que é popular totalmente seguro de si.

No começo desse romance Cecilia se sente totalmente insegura, pois ela não entende o que o Bernardo viu nela, afinal ele pode ter quem ele quiser.

Mas, nem tudo é lindo né não?

O livro é dividido em duas partes e acontece algo no fim da primeira parte que deixa o livro mais dark e mais melancólico que você só vai saber lendo.

É difícil falar deste livro, pois quando o terminei me deixou com uma sensação de vazio e tristeza, e não sei se isso é bom ou ruim.

O tema que ele aborda é totalmente necessário porém pesado, mas é obrigatório. Saúde mental é algo muito sério e pouco falado em nossa literatura. A forma que a autora o aborda foi totalmente esclarecedor e literalmente sentimos tudo aquilo que Cecília passa, por isso que quando o terminei, fiquei triste e melancólico.

Os amigos da personagem tem um papel muito importante e mostra como o poder da amizade é essencial.

Acredito que é um livro que vai despertar sensações diferentes para cada um, mas tenho certeza que você não será mais o mesmo depois que o ler Céu sem estrelas.

- Não existe um céu sem estrelas, Cecília. Mesmo quando estão cobertas pelas nuvens, ainda estão lá. A gente só não consegue enxergar.
- É como a esperança – ela comenta, pensativa. – Sempre existe uma saída, mesmo que a gente não consiga enxergar.
- Sim, sempre existe uma saída. Sempre existem estrelas.
Uma história brilhante sobre encontrar a sua força mesmo quando não há esperanças. 

Observações sobre a autora/livro:

Iris Figueiredo nasceu em 1992, na região metropolitana do Rio de Janeiro. É formada em produção editorial pela UFRJ e pós-graduada em transmídia. Já atuou em diversas áreas do mercado editorial e manteve por muitos anos o blog Literalmente Falando. É autora da duologia Confissões On-line: Bastidores da minha vida virtual (Generale, 2013) e Entre o real e o virtual (2015). Classificação: 5/5
Céu sem estrelas foi publicado pela Companhia das Letras pelo selo Seguinte no ano de 2018 com um total de 360 páginas. Classificação 5/5

Comentários via Facebook

5 comentários:

  1. Oi, Thiago! Tudo bem?

    Eu li este livro recentemente e como você falou, é interessante e necessário os temas que abordam, mas não consegui gostar do livro, principalmente pelo romance, então realmente não funcionou para mim.

    Beijos,
    Magia é Sonhar
    Conheça o nosso Canal

    ResponderExcluir
  2. Olá, Thiago.
    Eu estou com esse livro na minha lista de desejados. Só vi comentários positivos sobre ele. E como aborda um tema que eu vivi na pele porque sempre fui acima do peso, estou bem ansiosa para realizar a leitura.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi Thiago, tudo bem?
    Adorei a resenha e saber mais do livro.
    Só não sei se leria no momento, estou numa vibe mais leve.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  4. Oi Thiago,
    Eu amei demais esse livro. Devorei em poucos dias e ainda conheci a Íris na Bienal, o que valeu ainda mais a pena.
    Nunca mais verei um fusca azul da mesma maneira que antes, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Thiago,
    Que dica fantástica, mesmo estando com a minha lista de leitura transbordando vou encaixá-lo, esse livro deve ser uma viagem ao nosso interior, os cotes são muito bonitos e reflexivos.

    Ótima indicação

    Abraços

    Beto

    www.coisastriviais.com

    ResponderExcluir