Proibido, Tabitha Suzuma


13/06/2018
Aline Nascimento

Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.

Proibido tem como temática um dos assuntos mais tabu e polêmico que já encontrei na literatura (incesto) o amor entre uma irmã e irmão.

Na trama somos apresentados a relação de amor carnal entre dois irmãos. Lochan tem 17 anos e Maya 16, com três irmãos mais novos os dois são a base sólida de uma família desestruturada. Eles são os responsáveis pela criação e educação dos irmãos mais novos, já que o pai os abandonou e a mãe tem problema com bebida alcoólicas e é totalmente irresponsável perante seus deveres como mãe.

Porém essa responsabilidade compartilhada faz com que um amor que deveria ser apenas fraternal se transforme em um amor proibido entre irmã e irmão. O sofrimento nessa história é algo inevitável. Esses personagens sofrem demais e nós sofremos com eles, enquanto fazemos essa leitura em vários momentos nos esquecemos que os dois são realmente irmãos e nos pegamos tentando achar uma solução viável para essa trama.

Essa leitura foi escolhida para leitura de maio do Avalon Book Club (clube do livro que sou mediadora), talvez se não fosse escolhido pelo clube talvez eu nunca tivesse lido esse livro. É um livro intenso, difícil pela temática, mas um livro bem desenvolvido. A autora soube trabalhar muito bem com um tema tão difícil. A escolha do livro para o clube com certeza foi um acerto; afinal é um livro que disseminam muitos pontos de vistas diferentes. Não é um livro que recomendo para todos, mas é um livro que nos faz refletir, principalmente sobre "o julgar", como é fácil julgar quando não estamos no lugar do outro. Não terminei essa leitura acreditando que o incesto pode ser aceito, ou é algo que simplesmente acontece, mas terminei sim acreditando que não devemos apontar o dedo e julgar com tanta facilidade.

Observações sobre o autor/livro:

Tabitha Sayo Victoria Anne Suzuma, nasceu em Londres, filha de mãe inglesa e pai japonês, a mais velha de cinco filhos. Ela frequentou o liceu francês, mas saiu da escola aos catorze anos. Dez anos depois, ela se tornou professora e escreveu seu primeiro livro, A Note of Madness. Ela ainda escreveu mais três obras para o público jovem adulto: From Where I Stand, A Voice in the Distance e Without Looking Back. Seu trabalho mais famoso, Forbidden, conta a história de um romance incestuoso entre um irmão e uma irmã. Sua obra mais recente é Hurt, livro lançado em 2013. No Brasil Proibido foi lançado em 2014 pela Editora Valentina com um total de 304 páginas.

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Oi Aline!
    Esse livro é mesmo bem polêmico! Confesso que ainda não senti vontade de ler...

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Olá, Aline.
    Eu odiei a mãe deles o livro todo, era muito descaso. E não consegui ver o que eles sentiam como amor, foi mais uma necessidade por causa da situação.

    Prefácio

    ResponderExcluir