Dom Casmurro, Machado de Assis #3


22/01/2018
Aline Nascimento

Dom Casmurro, produziu um dos maiores livros da literatura universal. Mas criando Capitu, a espantosa menina de "olhos oblíquos e dissimulados", de "olhos de ressaca", Machado nos legou um incrível mistério, um mistério até hoje indecifrado. Há quase cem anos os estudiosos e especialistas o esmiuçam, o analisam sob todos os aspectos. Em vão. Embora o autor se tenha dado ao trabalho de distribuir pelo caminho todas as pistas para quem quisesse decifrar o enigma, ninguém ainda o desvendou. A alma de Capitu é, na verdade, um labirinto sem saída.




Após uma promessa de sua mãe D. Glória, Bento Santiago (Bentinho) é destinado à vida sacerdotal, porém sua paixão por Capitu amiga e vizinha de infância, a menina de "olhos oblíquos e dissimulados" faz com que essa promessa seja "quebrada".
Somos agraciados pela vida e convivência dos amigos e familiares de Bentinho, entre eles, tia Justina, tio Cosme, José Dias entre outros.

Bentinho casa-se com Capitu; mas com o decorrer dos anos vai se tornando-se um perfeito Dom Casmurro, advogado e narrador da sua própria história começamos duvidar das palavras e se perguntar, havia verdade em suas desconfianças contra fidelidade de Capitu ou apenas verdades criadas na mente e nos olhos de um homem doentio de ciúmes.

Machado de Assis nos presentou com uma obra graciosa e incômoda; não é à toa que Dom Casmurro é até hoje reconhecido pela sua qualidade. Após realizar essa leitura é impossível não refletir e leva-se ao questionamento Capitu traiu ou não traiu Bentinho?

Bentinho é um narrador confiável ou talvez sua idade faça que fantasie ou tem crie lapsos de memória, afinal Bentinho já  está em uma certa idade e nos narra toda uma vida que ficou para trás.
Uma coisa é certa, cada leitor fará sua interpretação e chegará em sua conclusão.

Dom Casmurro estava na minhas metas de 2017 e há algum tempo já tinha realizado essa leitura, mas devo confessar que quando um livro torna-se um dos meus preferidos tenho muita dificuldade em expressar em palavras os sentimentos que aquela obra me despertou, só posso dizer que Dom Casmurro é um clássico, uma obra prima que conquistou meu coração.

Obsevarções sobre o autor/livro:

Joaquim Maria Machado de Assis, nasceu dia 21 de junho de 1839 no Rio de Janeiro e faleceu 29 de setembro de 1908; foi um escritor brasileiro, considerado por muitos críticos, estudiosos, escritores e leitores um dos maiores senão o maior nome da literatura do Brasil. Escreveu em praticamente todos os gêneros literários, sendo poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista e crítico literário. Em sua maturidade, reunido a colegas próximos, fundou e foi o primeiro presidente unânime da Academia Brasileira de Letras. É autor de várias obras entre elas
Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Helena (1876), Iaiá Garcia (1878), Memórias Póstumas de Brás Cubas, (1881), Casa Velha (1885), Quincas Borba (1891), Esaú e Jacó (1904), Memorial de Aires (1908). Dom Casmurro teve sua primeira publicação em 1899 pela editora original H. Garnier. Classificação: 5/5

Comentários via Facebook

6 comentários:

  1. Amei a resenha, e quando se trata desse ícone da literatura, não tem como não amar, sou fã das crônicas de Machado e apaixonada pelo trabalho dele, sempre que leio algum trecho de uma obra fico pensando o quanto era inteligente e nos deixou um imenso referencial. Bjss

    www.historiasdaiza.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Iza.
      Com certeza é um referencial da nossa literatura.
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, Aline!

    Confesso que não sou muito chegada em obras nacionais antigas/clássicas, mas fico feliz em saber que o livro te conquistou tanto que acabou se tornando um dos seus favoritos. Pela fama, a história deve ser ótima mesmo!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol.
      Obrigada pela visita e comentário.
      Beijos

      Excluir
  3. Olá, Aline.
    Eu nunca li esse livro, mas sei sobre essa eterna dúvida da traição. Acho que isso que é legal em um livro, quando suas questões saem das páginas e transcendem o tempo. Se tiver a oportunidade eu lerei ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil.
      Leia sim,com certeza é uma dúvida que transcendem o tempo.
      Beijos

      Excluir