Mãe sem manual, Rita Lisauskas


29/07/2017
Aline Nascimento

A gravidez é sinônimo de alegria e bem-aventurança instantâneas, está escrito na página zero do manual das mães das novelas, filmes e contos de fada. Você vai reluzir, cintilar, sentir-se plena e absoluta desde o momento em que descobriu que vai colocar uma criança nesse mundo. Mas pode não ser bem assim. Como estamos entre amigas, vamos falar a verdade aqui. Este é um antimanual: foi criado para mostrar que nem sempre há certo ou errado quando o assunto é maternidade. Para desconstruir (e rir) dos mitos que às vezes nos fazem sentir inseguras, culpadas ou nos fazem perder muitas noites de sono à toa. Este livro é um abraço apertado em cada mãe que às vezes erra, sempre querendo acertar, e às vezes acerta, tendo certeza de que, no fundo, está errando.
Eu sentia vontade de jogar móveis, roupas e pessoas fora, mas não podia, vai passa, Rita, vai passar.
Sim, eu era uma ótima mãe. Até que meu filho nasceu. 
Livro cedido em parceria pela editora Belas Letras

Primeiramente queria comentar sobre as edições da editoras Belas Letras, eles capricham muito nas ilustrações dos livros, mas confesso que o que mais chama minha atenção é a paleta de cores que eles utilizam em cada uma das suas edições, em Mãe sem manual não é diferente o livro é capa dura, com ilustrações e fontes diferenciadas, enfim adoro as edições dessa editora.

Mãe sem manual foi publicado em 2017 e todos os parceiros da editora receberam o livro com uma garrafa e marcadores, foi o kit de boas vindas da editora.

Rita Lisauskas começa nos relatando a partir do dia 25 de junho de 2009, o dia que realizou a fertilização in vitro, ela nos conta através de relatos sinceros e engraçados a dura realizada da maternidade, e deixa bem claro que quando o assunto é maternidade não existe certo ou errado.

Em doze Rita menciona os palpites que não tem fim durante esse período, o parto, visitas, amamentação, relação mãe e filho, trabalho e outros tantos assuntos relacionados.

Este é um antimanual: foi criado para mostrar que nem sempre há certo ou errado quando o assunto é maternidade. Para desconstruir e rir dos mitos que às vezes nos fazem sentir inseguras, culpadas ou perder muitas noites de sono à toa.

É um livro fácil, leve e divertido de ser lido, com certeza para quem é mãe ou pretende encarar a maternidade é um livro bem interessante, tenho certeza que identificação irá acontecer.

Observações sobre o autor/livro:

Rita Lisauskas, é jornalista, apresentadora de telejornal e blogueira. Quando o filho Samuca nasceu em 2010, ela começou escrever sobre a jornada insana da maternidade, que nem de longe se parecia com as propagandas de sabonete para bebê. Nasceu assim o blog "Ser mãe é padecer na internet", que passou pela revista TPM e depois migrou para o portal do jornal O Estado de São Paulo. Mãe sem manual foi publicado pela editora Belas Letras (2017) com 110 páginas. Classificação: 4/5.

Comentários via Facebook

6 comentários:

  1. Oi Aline!
    Desta vez o livro não me interessou...

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena Sora, espero que os próximos livros resenhados por aqui lhe agrade.
      Beijos

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Adorei a resenha! Parece ser um ótimo livros para as mães mesmo... Realmente, essa editora sempre capricha nas edições, hehe.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Larissa, é uma ótima indicação mesmo, realmente adoro as edições deles.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi Aline! Tudo bem?

    Super me diverti com a sinopse e sua resenha, as cores também me agradaram muito e apesar de não ser um título que eu leria, sem dúvidas, eu gostei da ideia que a autora passa as mamães.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victor, tudo bem sim...
      Obrigada pela sua visita por aqui...
      Abraço

      Excluir