A mamãe é rock, Ana Cardoso


04/07/2017
Aline Nascimento


Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho natural, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família e é sobre as mães também, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube e se torna uma delas. Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. Aqueles que leram O papai é pop estão convidados a conhecer o lado mais in/tenso da experiência. A mamãe é rock é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para criar suas filhas.

Em formato de crônicas Ana Cardoso nos apresenta passagens da sua vida maternal, Anita e Aurora suas filhas e seu marido Marcos Piagers (autor do livro O papai é pop) são personagens dessas histórias que ela nos apresenta.

Ana nos fala um pouco sobre os relatos do seu dia a dia como mãe, como a maternidade tem dias que pode ser leve, engraçada e até assustadora.

Não existe uma pessoa perfeita e muito menos uma mãe perfeita, e é isso que Ana nos passa durante a leitura desse livro, ela nos mostra que a maternidade é feita de erros e acertos, mostra como as causas que acreditam como o feminismo por exemplo é repassada de forma sutil às vezes sem mesmo que a família perceba para suas filhas, principalmente para Anita sua filha mais velha. A autora nos mostra como é difícil mas possível ser ao mesmo tempo esposa, profissional, mãe, cozinheira, dona de casa, professora e mais mil e uma utilidades durante apenas um dia de vinte e quatro horas.

Como já mencionei em outras postagens tudo relacionado ao assunto de maternidade está ganhando minha atenção mais fácil durante essa fase, e com esse livro não foi diferente, assim que recebi de parceria da editora Belas Letras comecei a ler, li em menos de uma hora, são crônicas fáceis e curtas de ser lidas, além disso o livro tem algumas páginas que são interativas o que torna a leitura mais rápida ainda, indico o livro principalmente para as mamães e futuras mamães tenho certeza que identificação vai acontecer.

Observações sobre o autor/livro:

Ana Cardoso, nasceu em Curitiba no ano de 1977. Mudou-se para Florianópolis em 1999, onde trabalhou com esportes radicais na Rádio Atlântida por seis anos, pesquisou rádios e assentamentos do MST e concluiu mestrado em Sociologia Política. Aos 26 virou feminista, aos 27 casou com jornalista Marcos Piagers, aos 28 teve sua primeira filha, Anita. Aurora nasceu sete anos depois. Vive em Porto Alegre desde 2006, envolvida até o último fio de cabelo com pesquisas sociol[ogicas, grupos feministas e a família. A mamãe é rock foi publicado pela editora Belas Letras em 2016 com 107 páginas. Classificação 3/5.

Comentários via Facebook

5 comentários:

  1. Oi Aline, tudo bem? Mesmo não sendo mãe eu tenho um mega interesse nesse livro, a narrativa da autora parece ser ótima <3 Adorei a dica.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Olá, Aline.
    Apesar de achar que o livro deve ser bem divertido, acho que me interessaria mais se fosse mãe. Iria apreciar mais as dicas. Mas vou repassar a dica para minhas sobrinhas que as duas estão grávidas hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi! Nunca li nenhum livro do Piagers, mas já ouvi indicações muito boas. Creio que esse da Ana não esteja longe em quesito qualidade, hahaha! Como as outras meninas disseram, acho que eu me interessaria mais se fosse mãe também, mas por que não dar uma chance mesmo assim?

    Beijo!
    www.controversios.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Aline. Eu já tentei ler Fala sério, pai, mas confesso que não sou tão inclinada para livros com relacionamentos familiares em crônicas, gosto mais de histórias desenvolvidas, uma trama a explorar. Mas adoro essa capa e talvez um dia eu leia.
    Beijo!
    https://leitoraencantada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Aline!
    Infelizmente, essa obra não me atrai.
    Acho que é por não ser parte da minha realidade, sabe?
    Talvez no futuro, quem sabe?
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir