Disputa Literária: A menina submersa - Memórias, Caitlín R. Kiernan


08/03/2017
Aline Nascimento

Em janeiro em parceria com a Bruna Estevam liberamos uma postagem chamada Disputa Literária, que consistia em vocês escolherem um livro para nós duas ler e resenhar aqui no blog, eu escolhi os livros A ilha dos dissidentes e Corte de espinhos e rosas; e a Bruna escolheu A menina submersa e O circo da noite vocês votaram e escolheram o livro A menina submersa, ou seja, 1X0 para Brubs rsrs; dessa forma hoje trago nossa "resenha" para vocês.

A Menina Submersa é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por licantropos e sereias. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de beleza e horror, camadas, mitos e mistério em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do "real" sobre o "verdadeiro" e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma obra-prima do terror da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards (2013). A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e H. P. Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.

Brubs:
Acho que nessa minha vida de leitora esse sem sombras de dúvidas foi o livro mais difícil que eu já li. Foi uma leitura cheia de altos e baixos, amor e ódio, vontade de ler até o fim e vontade de abandonar. Mas a vida e o dia a dia de Imp me prenderam de tal forma que não consegui largar, foi uma leitura maçante e devagar, na qual eu cheguei a largar para ler um livro mais leve para depois retornar a leitura. Desculpa de eu não falar falar da história em si, mas o livro, a história mexeu tanto comigo que eu não sei até hoje se eu realmente gostei ou não, sim, A Menina Submersa é um livro psicológico, 100% psicológico, eu fiquei louca lendo, eu ficava cismada, amedrontada, fiquei louca e surtada com a Imp, muitas vezes eu parava a leitura e tinha que pensar ou voltar a leitura pois não sabia se o que eu estava lendo era verdade ou fruto da imaginação. É um livro louco! A escrita, aaaaah a escrita é pior ainda, uma escrita maçante, difícil; mas às vezes é uma escrita rápida e de fácil entendimento. Sim, é bem confuso, só lendo pra saber e entender. A autora está de parabéns porque se a intenção dela era nos deixar loucos, pelo menos comigo ela conseguiu. A menina submersa é um ótimo e péssimo livro, um livro que indico, um livro que se você não estiver preparado com certeza irá abandonar e mesmo estando preparado tu tem que ser forte. Desculpe se não ficou boa a resenha, é porque até agora não digerir muito e acho que esse tormento ficará para sempre. Classificação: 3/5.

Aline:
Infelizmente da minha parte não terá uma resenha, afinal não consegui passar da página trinta desse livro, não sou muito de abandonar livros, mas tentei ler esse livro no mínimo umas quatro vezes e a leitura não prosseguia, foi o primeiro abandono de 2017. Aline então o livro é horrível? Não é bem assim, sabe aquele livro que parece que a personagem está falando diretamente dentro da sua cabeça e como a Imp é uma personagem esquizofrênica doença herdada da sua vó e da sua mãe eu me sentia tonta, confusa, não entendia para aonde aquela história e narrativa queria me levar. Como mencionei tentei ler várias vezes e não conseguia, então decidi deixar de lado, talvez não seja o momento ou simplesmente eu não curta uma narrativa tão confusa assim, entendo a proposta da autora mas infelizmente não funcionou para mim. Classificação: Abandonado.

Obsevarções sobre o autor/livro:

Caitlín R. Kiernan Caitlín R. Kiernan (1964) é autora de livros de ficção científica e fantasia dark, e paleontóloga. Escre- veu dez romances, dezenas de histórias em quadrinhos e mais de 200 contos e novelas. Entre seus trabalhos, destacam-se os romances Silk (1998), Threshold (2001), ambos vencedores do International Horror Guild Award, e The Red Tree (2009); a série em quadrinhos The Dreaming, spin-off de Sandman, de Neil Gaiman, com quem também escreveu a novelização de Beowulf (2007). A Menina Submersa: Memórias foi publicado no Brasil em 2015 pela Editora DarkSide Books. 

Comentários via Facebook

8 comentários:

  1. Oi Aline e Brubs, eu ainda não li Menina Submersa mas imagino que a edição seja linda. Esse tipo de livro que gera amor e ódio marca a gente, espero que em outro momento a Aline termine de ler e eu consiga conferir.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi a edição é linda mesmo, sem comentários quanto isso; quem sabe um dia eu consiga prosseguir né...Beijos

      Excluir
  2. Oi, meninas!
    Eu quero ler esse livro. Hehe
    Conheço o título e não imaginei que ele fosse tão controverso assim. Não sabia, inclusive, que a protagonista sofre de transtorno de esquizofrenia. Como estudante de Psicologia, claramente fiquei curioso.
    Espero poder ler em breve e aproveitar a leitura. Creio que pode me agradar, não sei...
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leandro.
      Espero que seja uma experiência melhor pra você do que foi pra mim.
      Abraço

      Excluir
  3. Olá, Brubs e Aline! Tudo bem com vocês?
    A Menina Submersa é o tipo de livro que ao mesmo tempo que me chama atenção, me faz ficar meio cismado. Confesso que esperava uma opinião mais positiva de ambas as partes, mas gostei, afinal, vocês foram sinceras ao mencionar o que acharam da escrita e história.

    Ainda nutro uma curiosidade pela obra, mas nada com muitas expectativas.

    Até mais. https://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato...
      Obrigada! Quem sabe funciona para você! Beijos

      Excluir
  4. Oi, Aline. Eu já abandonei tantos livros que nem me importo mais. Eu cansei de ficar me impelindo a ler algo que simplesmente não vai dar certo, então para quê me torturar? Eu nunca li nada sobre esquizofrenia, mas entendo que deve ser bem difícil entender os personagens e a sua cabeça. Com certeza eu não leria.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi MiriÃ
      Pura verdade a leitura tem que ser algo prazeroso.
      Beijos

      Excluir