Extraordinário, R. J. Palacio


24/02/2017
Aline Nascimento

August Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade...até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York. Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.
Acho que é como o Toque do Queijo, do livro Diário de um banana. As crianças tinham medo de encostar em uma fatia de queijo mofado na quadra de basquete. Na minha escola, eu sou o queijo mofado. 
August tem apenas dez anos mas já enfrentou várias batalhas na sua curta vida, infinitas cirurgias para tentar lhe deixar com uma aparência mais comum, o desprezo de alguns adultos e o medo das crianças quando olham para seu rosto. Mas o grande desafio do Auggie surge quando sua mãe lhe propõe que ele vá para uma escola, afinal sua educação sempre foi ministrada pela própria mãe em casa, Auggie e seu pai de início são contras, depois de algum tempo o pai de Auggie também concorda que receber uma educação adequada e tentar conviver com outras crianças será o melhor para Auggie, após algum tempo ele concorda e assim que ele coloca o pé dentro da escola os desafios começam.

Sr. Buzanfa (sim, esse é o nome do diretor da escola), apresenta alguns alunos para Auggie e pede que eles apresentem a escola e ajude na adaptação. Auggie irá enfrentar crianças que tem pena dele, crianças que tem medo dele, e até crianças que tem nojo dele, como se Auggie tivesse alguma doença contagiosa, mas apesar de tudo isso essa criança irá conquistar AMIGOS verdadeiros, crianças que vão enxergar a personalidade engraçada e inteligente de August.

O livro é divido em oito partes além da visão de Auggie, conhecemos um pouco da Via irmã mais velha do Auggie, entendemos como a vida dela mudou a partir do nascimento do seu irmão, como ela encarou ter que ser "deixada" de lado e ter toda atenção do seus pais voltados para o pequeno Auggie; temos a visão de Miranda, Summer, Jack amigos de Auggie, e Justin namorado da irmã; é muito bacana ter a visão desses personagens, traz uma visão de fora, uma visão mais real.

Deixei o livro parado na minha estante por muito tempo, peguei ele apenas por causa de um clube do livro que participo, li essa história em um dia, é um livro rápido, fluído e com capítulos curtos, uma história que deveria ter conhecido antes, um livro lindo, sensível e tocante, cheio de reflexões e ensinamentos.

Obsevarções sobre o autor/livro:

R.J Palacio atua no mercado editorial norte-americano há mais de duas décadas, atualmente com dupla função: designer gráfica durante o dia e escritora à noite. Ela mora em Nova York com o marido, os dois filhos e dois cachorros. Extraordinário é o seu primeiro livro. Para difundir a mensagem a autora iniciou uma campanha antibullying no site www.choosekind.tumblr.com da qual milhares de crianças já participam. O livro foi publicado em 2013 pela editora Intrínseca com 318 páginas. Classificação 5/5.

Parceria Helena Andrade


09/02/2017
Aline Nascimento

E com muita alegria que digo que o DP ganhou mais uma parceria nesse ano de 2017, tenho muito prazer em ter a oportunidade de resenhar livros nacionais aqui no Divagando Palavras, dessa vez nossa parceria é com a Helena Andrade autora de Simplesmente Amor e alguns outros títulos, nessa apresentação vamos falar um pouco da biografia da autora e da sinopse do livro Simplesmente Amor que será resenhado em breve aqui no blog, de cara já posso adiantar que o livro tem uma arte de capa linda.

Helena Andrade é apaixonada pela expressão através das palavras e estudiosa das técnicas de escrita, Helena adora romances, em especial aqueles que emocionam e fazem o leitor devorar a história da primeira a última página. Por amar tanto o gênero, ela se dedica a escrevê-los buscando provocar em seu leitor estas sensações. Helena é autora dos livros Despertar, do conto Moinho de Vento, que compõe a antologia Encontros em Desencontros, em parceria com outras seis escritoras, no qual ela foi organizadora, e de Simplesmente Amor, seu mais novo romance. Além da escrita, Helena organiza e participa de eventos literários, reunindo autores, blogueiros e leitores, inclusive com a realização de oficinas literárias em escolas. Por sua trajetória, no ano de 2015, foi contemplada com o troféu Cecília Meireles e seu último livro, na semana do lançamento, manteve-se por cinco dias consecutivos dentre os mais procurados no Skoob, a maior rede social de leitores do país.


Rede Sociais:
Site/blog: www.helenaandrade.com.br
Facebook: www.facebook.com/HelenaEscritora/
Skoob: https://www.skoob.com.br/autor/6328-helena-andrade
Twitter: @HelenaEscritora
Instagram: @helenaescritora

Sinopse: Imagine encontrar o amor verdadeiro, vivenciá-lo em sua plenitude e depois perdê-lo nas entranhas da mente. 
Ao realizar uma viagem de férias à Europa, Alícia vive momentos que não só podem mudar seu futuro, mas também lhe trazem revelações do passado. Quando retorna ao Brasil, um acidente a coloca entre a vida e a morte, tendo como consequência a perda das lembranças. Sem consciência de suas experiências, ela retoma sua vida, casa com o antigo namorado e deixa o acaso conduzi-la. Porém seu corpo começa a mostrar-lhe que existem mistérios por trás da amnésia, algo tão profundo que nem mesmo a perda da memória foi capaz de apagar. 




Onde comprar: 

Resenha + Sorteio: The kiss of deception, Mary E. Pearson


04/02/2017
Aline Nascimento


A força feminina é a grande estrela neste romance de Mary E. Pearson. Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? O primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio evoca culturas do mundo  e as transpões de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o romance de Pearson é capaz de nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados.
Aquele era o dia em que mil sonhos morreriam e um único sonho nasceria.
Talvez houvesse centenas de formas diferentes de se apaixonar.
Tudo estava pronto, seria o grande dia Arabella Celestine Idris Jezelia (Lia) primeira filha da casa de Morrighan casaria com o príncipe do reino Dalbreck, essa união significava paz e união entre os reinos. Lia ainda carregava um peso, segundo a lenda todas as primeiras filhas recebem um dom, Lia tinha certeza que mesmo sendo a primeira filha esse dom nunca existiu. 
Ela terá que seguir os mesmos passos de sua mãe; casar com um príncipe que ela não conhece, deixar para trás Morrighan e sua liberdade, mas Lia não está disposta ser um peão do exército do seu pai e sua vontade e determinação falará mais alto.

Pauline "criada" da casa será sua ponte de apoio durante esse novo percurso, elas fogem, conseguem alcançar um pequeno vilarejo, um lugar ideal para começar uma vida nova. Ambas viram garçonetes de uma estalagem, Lia não imagina mas com sua fuga um príncipe abandonado tenta encontrá-la e um assassino cruel também está no seu encalço. Nesse primeiro livro da trilogia somos apresentados a uma personagem forte, corajosa e que vai amadurecendo durante a trama. Além de lutar pela liberdade, Lia terá que lutar para sobreviver.

O livro é narrado pelo ponto de vista da Lia, do príncipe, e do assassino, uma jogada muito bacana afinal queremos saber o que tá passando na cabeça dos personagens, sim temos aqui um triângulo amoroso, porém é algo bem construído nada de mimimi. Um livro com doses certas de romance e fantasia.

The kiss of deception tem uma narrativa rica, descritiva, cheia de lendas e mistérios, também não posso deixar de comentar no trabalho que a Darkside fez com esse livro ficou uma edição linda, o livro virou um dos favoritos de 2016 já tenho o segundo livro dessa trilogia na minha estante que em breve será lido e resenhando aqui no blog.

Observações sobre o autor/livro:

Mary E. Pearson nasceu dia 14 de agosto de 1955. Mary é formada em Arte pela Long Beach State University. Trabalhou um tempo como artista, até a maternidade. Mais tarde foi para San Diego State University onde recebeu a sua credencial de ensino. Ensinou em muitas séries, mas foram os seus alunos da Segunda Série que a empurraram de volta para a escrita, durante a Oficina de Escrita. The kiss of deception foi publicado em 2016 pela editora Darkside pelo selo Darklove. Classificação 5/5.

Para comemorar essa leitura maravilhosa, estamos sorteando um exemplar do livro "The kiss of deception", as únicas regras obrigatórias são deixar um comentário com e-mail nesta resenha e morar em território nacional; porém se você curtir a página do blog, seguir no instagram e no twitter suas chances serão maiores, a promoção começa hoje dia 04/02/2016 e vai até 05/03/2016. Boa sorte!



A sala dos répteis, Lemony Snicket [Desventuras em série #Livro2]


01/02/2017
Aline Nascimento


Lemony Snicket é um autor que não pode ser acusado de falta de franqueza. Sabe que nem todo mundo suporta as tristezas que ele conta e por isso - para que depois ninguém reclame - faz questão de avisar: 'Se você esperava encontrar uma história tranqüila e alegre, lamento dizer que escolheu o livro errado. A história pode parecer animadora no início, quando os meninos Baudelaire passam o tempo em companhia de alguns répteis interessantes e de um tio alto-astral, mas não se deixem enganar...'
Os Baudelaire têm mesmo uma incrível má sorte, mas pode-se afirmar que a vida deles seria bem mais fácil se não tivessem de enfrentar o tempo todo as armadilhas de seu arquiinimigo: o conde Olaf, um homem revoltante, gosmento e pérfido. Em 'Mau Começo' ele deu uma pequena amostra do que é capaz de fazer para infernizar a vida de Violet, Klaus e Sunny Baudelaire - e aqui as coisas só pioram.

Após todos os desastre em "Mau começo" os irmãos Baudelaire estão seguindo para casa de um novo tutor o dr. Montgomery Montgomery (tio Monty) um herpetologista (especialista em cobras), no começo eles ficam um pouco assustado pois tudo dentro e fora da casa do tio Monty remete as cobras,  desde as árvores na entrada da casa até seu relógio de parede, e dentro da casa encontra-se a sala do répteis uma enorme sala com diversos répteis (incluindo cobras), mas o que de começo parece assustador se torna uma surpresa agradável para os irmãos. Tio Monty é uma pessoa boa e morar com ele talvez não seja tão ruim assim, e parece que os dias ruins com o Conde Olaf realmente ficou para trás.

Porém como estamos falando de Desventura em série sabemos que os infortúnios fazem parte da vida de Violet, Klaus e Sunny; tio Monty perde seu assistente e para substituir é enviado Stephano seu novo assistente porém de imediato os irmãos reconhece que na verdade Stephano não passa de Conde Olaf disfarçado, mais uma vez ele não terá piedade e tentará de qualquer forma chegar até a fortuna dos Baudelaire.

O segundo livro da série tem a mesma fórmula e as mesmas características do primeiro, em todos os momentos somos avisado pelo narrador que a vida dos irmãos é um desastre, que caso queira fechar o livro e procurar uma história mais feliz ok, afinal sorte é uma coisa que os irmãos Baudelaire não conhecem, é uma narrativa fluída e rápida de ser lida.

Está disponível na Netflix a 1ª temporada da série. A série está baseada nos quatro primeiros livros.


Observações sobre o autor/livro:

Lemony Snicket é o pseudônimo de Daniel Handler que nasceu em 1970, o segundo livro da série foi publicado no Brasil pelo selo Seguinte em 2001, o livro contém 177 páginas, classificação 4/5.
Em 2005, Jim Carrey estrelou uma versão cinematográfica dos três primeiros livros da série, no papel de conde Olaf.

Não tranque a porta, Amanda Ághata Costa


26/01/2017
Aline Nascimento

Princesas nem sempre são bem educadas ou seguem à risca as regras já estabelecidas para honrar o título que carregam. Lorena é prova viva disso, pois não se importa com julgamentos alheios ou olhares de reprovação. Disposta a encarar novas aventuras e aproveitar ao máximo as sensações que o sexo casual proporciona, faz questão de deixar de lado os parâmetros sociais e coleciona inúmeros casos de uma noite com príncipes mal intencionados. Quando não se procura o amor, nem faz questão de vivê-lo, a solução é deixar todas as portas abertas para divertir-se ao máximo com os que estiverem dispostos a satisfazer os seus desejos mais sensuais. O que Lorena não sabe, é que nem sempre é necessário estar à procura para esbarrar em sentimentos que não imaginava que realmente pudessem existir.



Neste conto erótico de poucas páginas somos apresentados a Lorena, uma princesa fora do convencional, confiante, bonita e decidida que atende com facilidade seus desejos carnais, Max é o melhor amigo de seu irmão dessa forma é normal sua presença ao redor da família real, um jovem bonito e sensual mas que também não resisti aos encantos e provações da princesa Lorena.

O conto é composto por uma cena que nos mostra quanto os personagens estão envolvidos e como a química deles é envolvente. Em apenas quatro páginas Amanda conseguiu que eu ficasse torcendo e querendo saber mais sobre os personagens Lorena e Max.

Por esse pequeno conto consegui sentir que a escrita da Amanda é leve e fluída, e que nos envolve do começo ao fim, a autora já tem publicado outro conto e um livro que estou bem empolgada para ler; por ser um conto é difícil resenhar sem falar spoiler então dessa forma indico que você leia e o melhor "Não tranque a porta" está disponível gratuitamente no Wattpad , é uma leitura de no máximo 10 minutos.

Obsevarções sobre o autor/livro:

Amanda Ághata Costa nasceu em 21 de Outubro de 1993, em São João Batista, uma cidade do interior de Santa Catarina. Formada em Pedagogia e amante das palavras desde a infância, jamais imaginou que um dia sua voz seria ouvida. Com papel e caneta em mãos, espera poder tocar as pessoas com suas histórias, fazendo-as vibrar e amar cada fragmento das mesmas. De todas as coisas do universo, aventurar-se nos mares da fantasia é sua maior paixão. Não tranque a porta está disponível do Wattpad. Classificação 4/5.

Parceria Amanda Ágatha Costa


20/01/2017
Aline Nascimento

Como eu tinha comentado em outra postagem o ano de 2017 começou muito bem para o Divagando Palavras, e uma dentre várias novidades é a parceria com a autora Amanda Ágatha Costa autora do livro e série A escolhida, estou muito feliz com essa parceria afinal durante esse ano quero falar bastante sobre literatura nacional. Hoje será um post de apresentação e em breve trago a resenha para vocês.

Amanda Ághata Costa nasceu em 21 de Outubro de 1993, em São João Batista, uma cidade do interior de Santa Catarina. Formada em Pedagogia e amante das palavras desde a infância, jamais imaginou que um dia sua voz seria ouvida. Com papel e caneta em mãos, espera poder tocar as pessoas com suas histórias, fazendo-as vibrar e amar cada fragmento das mesmas. De todas as coisas do universo, aventurar-se nos mares da fantasia é sua maior paixão. A Escolhida é seu romance de estreia.


Sinopse: Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota perdida na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais. Através de sua aparência impecável e feições delicadas, ninguém conseguiria supor quem ela é e o que gosta de fazer: um anjo com sede de sangue, sempre disposta a ceifar novas vítimas. Porém, tudo muda quando é capturada por dois feiticeiros e levada para o círculo, lugar onde eles vivem sob a liderança de Egran, um homem cruel que não mede esforços para conseguir o que quer. Em meio a várias mudanças repentinas, terá de enfrentar suas convicções a fim de descobrir um lado de si mesma que não imaginava existir. Será que o amor vai fazer brotar a alegria em seu coração? Ou ele irá arrastá-la diretamente para a morte? Ari será capaz de finalmente superar o próprio passado sombrio ou sucumbirá a ele, deixando pelo caminho mais um grande rastro de destruição?

Metas literárias 2017


18/01/2017
Aline Nascimento


Janeiro é o mês de planejar e fazer metas, o mês passado fiz um post falando dos 12 livros que pretendo ler em 2017 e essa é minha primeira meta, porém quero complementar, são metas realistas que eu acredito que posso alcançar.

1ª meta: 12 livros para 2017.
Caso queira saber qual foi os doze livros que eu escolhi, veja essa postagem aqui .

2ª meta: Ler 50 livros
No ano de 2016 minha quantidade de leitura foi muito abaixo disso, esse ano pretendo alcançar esse número.

3ª meta: Ler 10 livros nacionais
Em 2016 já comecei ter mais contato com autores nacionais e adorei essa experiência, esse ano espero ler no mínimo 10 livros.

4ª meta: Ler 3 clássicos.
Infelizmente não tenho o hábito de ler clássicos, esse ano preciso mudar isso.

5ª meta: Fazer algum projeto de leitura.
Essa meta já está em andamento dia 1º de janeiro comecei ler O nome do vento, e sairá diários de leitura aqui no blog, conheça o projeto #ONomedoVentoem2017 aqui.

6ª meta: Criar ou participar de alguma maratona.
Dia 7 de janeiro vou participar da maratona Torneio MLV falei mais sobre essa maratona aqui, e logo logo vem novidades por aí.

Essas são minhas metas espero no começo de ano que vem fazer um post ou vídeo (quem sabe), falando que alcancei todas essas metas, e você qual sua principal meta literária para 2017?