Entrecontos 1, Ju Lund


18/08/2017
Brubs.

Com narrativas variadas, Entrecontos 1, convida todos os leitores a entrarem em histórias que “se” não são verdadeiras… Poderiam ser! Compartilhe desta experiência fantástica, todos os contos foram publicados on-line em 2010 pela escritora Ju Lund, e agora possuem seu formato físico.
(Im) Possível, Agnes Adal, Dança, Desaparecido, Dia de Cão, Diana Keen, Escuro mais que Noturno, Estranho Conhecido, Fui ao Rio ver Crepúsculo, Halloween, Marcas e Sangue, O Livro de Morgana, O peixe comeu meu sono, Observadores, Pássaro, Pedido Secreto, Presença, Salvo pela Cruz, Seguidas, Zombeteira… São 22 Contos + 1 Poema esperando por você!


Entrecontos 1 é uma coletânea de contos, a maioria são sobrenaturais; com vampiros, por exemplo.

Os contos são simples, porém, chamam atenção, alguns confesso que não entendi e fiquei com cara de ué. Outros amei! Alguns passam a impressão que são verídicos, dá uma sensação de adrenalina, arrepios, uma coisa bem surreal.

Não há muito o que falar, não vou falar de um por um, porque acho que acaba perdendo a graça e o melhor de tudo é ler os contos de surpresa sem saber o que nos espera.

Mais uma vez a autora Ju Lund está de parabéns! Estou lendo Entrecontos 2, e em breve trago resenha pra vocês.

Obsevarções sobre o autor/livro:

Ju Lund é amante das artes, gaúcha nasceu em Pelotas é tecnica em turismo e hotelaria, graduanda em Artes Visuais (Licenciatura), é editora e fundadora de um portal de incentivo à literatura. Apaixonada por seus três gatos e mãe do Joan. '' Transforma seus melhores sonhos e piores pesadelos em contos e romances''. Entrecontos 1 foi publicado pelo Clube dos Autores em 2012 com 90 páginas. Classificação 3/5.

Antes de casar, Bárbara Machado + Sorteio no instagram


16/08/2017
Aline Nascimento

Catarina era uma jovem mulher que tinha tudo planejado: o casamento perfeito, o homem ideal, finalmente a vida adulta e independente que tanto almejava. Até que, de um dia para o outro, tudo muda: o casamento não passa de um sonho, o príncipe vira sapo e a brutalidade da vida adulta se mostra bem diante de seus olhos. De volta ao mundo dos solteiros, Catarina se redescobre como indivíduo e percebe que, a não ser que se torne tão desapegada quanto os homens que passam por sua vida, seu coração continuará sendo partido. Mas será que suas aventuras entre mesas de bar e festas agitadas podem substituir o antigo sonho de um final feliz? Entre altos e baixos que fazem parte da transição da juventude para a vida adulta, Catarina vai aprender que o amor não é bem como ela imaginava.
É melhor nunca ter uma coisa boa do que saber como é tê-la, apreciá-lá, depois perdê-la para sempre. Não se pode sentir falta de algo que nunca foi seu.
O perdão te torna livre, o amor te transforma, e o bem, contagia.
Livro cedido em parceria pela autora.

Esse será um fim de semana perfeito, afinal Catarina (mais conhecida pelos amigos por Cat) está completando 3 anos de namoro com seu "príncipe" namorado Arthur, porém após uma tarde inteira no salão de beleza (com direito até depilação) Cat enfrenta um pesadelo, Arthur não quer mais aquele relacionamento; e literalmente Cat leva um pé na bunda sem muitas explicações.

Após muitas lágrimas, comidas, televisão e muitos conselhos das amigas (Cat tem as melhores amigas que você pode imaginar), ela consegue enxergar como aquele relacionamento que apesar de estável tinha mudado a essência da real Catarina; enfim ela decidi que é hora de curtir, beijar, dançar, beber e trazer a verdadeira Cat para realidade. 

Cat é uma jovem publicitária que acredita que a arte da sedução não está no salto alto e na maquiagem, mas sim no seu sorriso, sua conversa e seu bom humor. Seus amigos do paintball consideram uma "brother" afinal ela é a única mulher do grupo, e geralmente seus encontros após uma partida de paintball é em um bar, com copos de cervejas e conversas de "machos".

Nesse momento acompanhamos a vida de solteira de Cat, seus ficantes, suas enrascadas, seus erros e seus acertos, não posso deixar de citar as conversas e conselhos das suas melhores amigas, Alice, Mari e Carol impossível conter uma boa gargalhada, o livro é recheado de bom humor e não tem nenhum filtro para os pensamentos femininos dessas meninas.

O único objetivo de Cat é não se apaixonar, afinal ela está conquistando tudo que havia perdido no seu relacionamento com Arthur. Mas será isso possível? Antes de casar é um livro leve, divertido, cheio de referências nerds, capixabas, e acima de tudo mostra uma menina em busca do autoconhecimento. Com certeza fica minha indicação para uma literatura nacional, regional e cheia de boas risadas.

Observações sobre o autor/livro:

Bárbara Machado, é publicitária, nascida em Vitória/ES, no ano de 1989. Apaixonou-se pela literatura na infância, quando as manias de leitura e o hábito de escrever começaram. Formou-se em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda na Universidade Federal do Espiríto Santo, e atua na área de Comunicação e Marketing. Antes de Casar é seu primeiro livro e foi publicado de forma independente em 2016 com um total de 292 páginas. 

Onde encontrar Antes de Casar:   Blog | Loja Virtual | Facebook | Instagram | Twitter | Skoob

Sorteio: No dia 22 de Agosto é o aniversário da querida Cat e para comemorar a autora está disponibilizando um livro para sorteio que acompanha alguns mimos. O sorteio está sendo feito lá no instagram @divagandopalavras corre lá, o resultado do ganhador sairá dia 22/08 não deixe de participar. #sorteiodeniverdacat

Cozinha para 2, Carol Thomé e Duca Mendes


10/08/2017
Aline Nascimento

Uma das coisas mais gostosas da nossa “vida de casal” é comer juntos. Enquanto a gente almoça, pensa no que vai comer no jantar. Quando eu e o Duca fomos morar juntos e descobri que ele não sabia fazer absolutamente nada na cozinha, pensei: estamos lascados. Do meu pai, eu herdei o prazer de comer. Da minha mãe, a preguiça de fazer comida... O Cozinha para 2 é um retrato do nosso cotidiano: temos vontade de comer coisas boas mas não temos paciência para preparar receitas complicadas. Quando conheci o Duca, eu sabia que tinha encontrado o melhor namorado, amigo e parceiro de garfo. Embora a gente tenha relações totalmente diferentes com a comida, isso nunca nos atrapalhou. Comer para ele é uma necessidade. Para mim é afeto. Ele come para sobreviver. Eu como por prazer. Ele prefere doces. Eu prefiro salgados. Por isso as receitas deste livro vão muito além da comida para nós. Por trás de cada prato que apresentamos aqui há uma história para contar. Em cada mordida há um beijo apaixonado. Porque cozinhar é uma forma de amar.

Livro cedido em parceria pela editora Belas Letras

Como parceira da editora Belas Letras em 2017 eles disponibilizaram para que eu solicitasse dois livros do catálogos deles, e o primeiro livro que escolhi foi Cozinha para 2, há um tempo atrás assistia bastante vídeos do casal no youtube ensinando receitas rápidas e deliciosas, afinal quem não gosta de comer algo gostoso e melhor ainda preparar sem dificuldade e sem sujar a cozinha inteira rsrs...

Como já disse em algumas resenhas passadas a editora capricha muito nas suas edições e com essa não foi diferente, realmente temos um "caderno" de receitas em mãos, cheio de fotos e ilustrações.

Tem receitas desde arroz cremoso de forno, lasanha de biscoito, pão de queijo fit, bolo de coca cola à sorvete e pipoca fit, brigadeiro de leite em pó entre outras, são 50 receitas distribuídas em 107 páginas.

Vou deixar uma receita abaixo para vocês ficarem com água na boca e perceberem o nível de facilidade em fazer (não precisa ser nenhum mestre cuca).

Brigadeiro de Nutella com farofa de Nozes

- Ingredientes:

2 colheres (sopa) de Nutella
395g de leite condesado
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (sopa) de mateiga
Nozes a gosto

- Modo de preparo:

1. Misture tudo.
2. Leve ao micro-ondas por 6 minutis e mexa na metade do tempo.
3. Coloque o brigadeiro em copinhos e adicione a farofa de nozes por cima (opcional).
4. Finalize com pedaços de nozes.

- Dica:

Para fazer a farofa, triture uma xícara de nozes e misture com uma colher de chocolate em pó.

Caso alguém resolva fazer me conte como ficou. Beijos

Metamorfose literária


07/08/2017
Aline Nascimento


Essa postagem não estava programada, hoje era para entrar resenha de um livro, porém precisava expor alguns pensamentos, como alguns de vocês sabem meu contato com a literatura foi depois de jovem, infelizmente meus pais, meus familiares, e as escolas por onde passei não tinha o hábito e incentivo a leitura, dessa forma cresci acreditando que os livros era apenas algo didático, técnico nada mais do que isso. O primeiro livro que li inteiro foi em 2007/2008 indicado e emprestado por uma colega de trabalho, era um livro espirita, lembro que demorei bastante para ler mas no fim acabei gostando, naquele momento compreendi que os livros nos transportavam para outras dimensões, mas foi através do livro A cabana (não lembro o ano que li) que peguei o gosto pelos livros, lembro que na época não entendia muito bem como funcionava, o que era clássico, contemporâneo, livros jovens ou adultos, eu comprava livro conforme a promoção, ou seja, dependendo do valor que ele estava no site do submarino e das americanas que geralmente era R$ 9,90 rs. 

Levei algum tempo para entender que eu não poderia sair comprando qualquer livro apenas pelo preço, afinal minha pequena "estante" estava "cheia" de livros que eu não tinha vontade de ler, consegui da um passo a frente e compreender que eu tinha que escolher meus livros conforme meu perfil e adquirir livros que realmente eu estava com vontade de ler, mesmo que na maioria da vezes eles fossem bem mais caros.

Nesse momento compreendi que eu gostava de ler Dan Brown e não gostava tanto assim do livros do Augusto Cury; fui descobrindo-me como leitora e com o passar do tempo os blog e canais literários me ajudaram encontrar meu "perfil literário".

Em 2012 criei o Paixão por Livros meu primeiro blog, naquele espaço dividia minhas "experiências" com os livros que me preenchiam na época. Devido esse primeiro blog também conheci amigos virtuais que levo até hoje, obrigada! Porém devido falta de tempo acabei encerrando as atividades naquele blog. 

Mesmo tendo uma vida corrida eu sentia muita falta da blogosfera, em 2016 criei o Divagando Palavras e desde o ano passado venho trazendo resenhas, projetos e afins para vocês, estou muito feliz e contente por conseguir manter esse pequeno espaço, que já me presentou de diversas formas.

Mas enfim depois de todo esse blablablá chegamos ao real motivo de post, no começo de 2017 fiz algumas metas, que apresentei para vocês (nesta postagem); há uns 15 dias atrás fui conferir como estava meu andamento afinal o fim do ano já está chegando, e uma das minhas metas que era ler APENAS 3 livros clássicos durante esse ano não tinha sido concluída, ou seja, não tinha lido nenhum livro clássico ainda, apesar de outras metas também não ter sido alcançada essa foi a que mais me incomodou, sendo assim peguei Dom Casmurro para ler e posso dizer que me deliciei com a história, os diálogos, a narrativa, a construção incrível dos personagens e fiquei me perguntando afinal por que eu não insiro mais clássicos nas minhas leituras, o ano passado estava lendo Os miseráveis e estava AMANDO e não sei por qual motivo simplesmente parei a leitura, acho que temos que aproveitar o momento e nesse momento eu realmente estou com muita vontade de passear pelos século XVIII e XIX, abrir caminhos para as escritas de Jorge Amado, Guimarães Rosa, Victor Hugo e talvez por que não Dostoiévski, não quero que essas leituras sejam uma meta, uma obrigação; o que estou dizendo e que no momento estou sim com vontade de realizar e incluir essas leituras no meu dia a dia. Aline então o perfil do DP vai mudar? Não gente, continuo lendo lançamentos, juvenis e afins, só estou dizendo que temos que nos permitir que essa metamorfose literária aconteça; e sinto que nesse momento com um pouco mais de bagagem literária estou mais preparada para introduzir livros que há cinco anos atrás eu tenho certeza que não leria, enfim estava com muita vontade de conversar com vocês sobre esse assunto, quero muito a opinião de vocês, deixem comentários ou quem sabe indicações para que eu possa aos poucos me introduzir no mundo dos clássicos. Se leu até aqui agradeço de coração afinal tenho certeza que não foi um texto "reflexão" curta, meu muito obrigada! Beijos

Anatomia de um excluído, Andrea Portes


01/08/2017
Brubs.

Um romance recheado de humor sobre uma menina dividida entre a popularidade e os seus sentimentos
De fora, Anika Dragomir é a terceira garota mais popular da escola. No íntimo, ela sabe que é uma freak: um misto de pensamentos obscuros, planos vingativos e, se os boatos estiverem corretos, DNA de vampiro (afinal, seu pai é da Romênia). Mas ela mantém tudo isso bem escondido por trás do gloss labial e longos cabelos ondulados. Afinal, um passo fora da linha e a nazista ultrapopular Becky Vilhauer fará de sua vida um inferno na Terra.
E, para piorar mais as coisas, de uns tempos para cá, Anika anda obcecada com o loser mais recluso de todos: Logan McDonough.
Desde que ele apareceu na escola de lambreta, vestindo um casaco de couro e emanando um ar de mistério, ela não consegue pensar em outra coisa. Mas seria insano desperdiçar sua popularidade por um pária como ele, ainda mais quando Anika cai nas graças de Jared Kline, o crush desejado de todas as garotas da cidade.
Dividida entre dois pretendentes e cansada de fingir ser uma garota malvada para agradar Becky, Anika, pela primeira vez, está prestes a tomar coragem para se defender e colocar Becky em seu devido lugar.

Livro cedido em parceria pela editora Galera Record

Sinopse auto explicativa, vou direto ao que achei e senti com o livro.

Já começo discordando da sinopse um pouco, não achei o livro tão recheado de humor assim... tem suas partes de humor mais não tanto assim. É um livro no estilo sessão da tarde, é leve e fácil de ler. Ou seja, um livro juvenil. 

Como a maioria dos livros juvenis a pessoa quer ser a mais popular, porém esconde todo um mundo de segredos por baixo do tapete. Anika é sim essa pessoa, mas ela consegue também ser totalmente diferente ao mesmo tempo, mesmo com medo de ser pega pela tal Becky, ela faz seus planos darem certo por debaixo dos panos, eu me lembrei muito do filme Meninas Malvadas, porém, no filme a garota meio que se da mal e é exposta para o colégio inteiro... só não vou dizer se é nesse sentido que acontece, vocês vão ter que ler. 

O livro todo é muito bem escrito, a autora não deixou a peteca cair, segurou a história com muita firmeza o tempo todo, algumas atitudes de Anika deixou claro que era uma adolescente, em momento algum a autora deixou de mostrar isso, o que achei legal, porque já li alguns livros que isso acabou se perdendo e as atitudes de alguns personagens as vezes não condiz com a história descrita. Aproveitando e já falando que os personagens foram muito bem construídos, nenhum deixou a desejar. O que mais gostei foi o fato de Anika talvez ser mestiça, seu pai é da Romênia, então ambos podem ser vampiros e é esse lado meio obscuro de Anika que deixou com um fundo meio gótico, ela foi minha personagem preferida.

Para finalizar, Anatomia de um excluído, foi uma surpresa, pois pensei que seria só mais um livro juvenil, mas o final dele, aaaaaah o final... O final desse livro é pra acabar com todo esse humor que falei no início, foi uma final trágico, mas ao mesmo tempo um final com verdades expostas e um final muito lindo e merecedor. Se eu recomendo a leitura? Maaas é lógico que sim!!!!

Observações sobre o autor/livro:

Andrea Portes é uma autora americana. Suas publicações incluem: Hick, Bury This, Anatomy of a Misfit (Anatomia de um excluído) e The Fall of Butterflies (O Tempo das Borboletas). Anatomia de um excluído foi publicado aqui no Brasil em 2017 pela Record no selo Galera Record com 320 páginas. Classificação: 4/5.

Mãe sem manual, Rita Lisauskas


29/07/2017
Aline Nascimento

A gravidez é sinônimo de alegria e bem-aventurança instantâneas, está escrito na página zero do manual das mães das novelas, filmes e contos de fada. Você vai reluzir, cintilar, sentir-se plena e absoluta desde o momento em que descobriu que vai colocar uma criança nesse mundo. Mas pode não ser bem assim. Como estamos entre amigas, vamos falar a verdade aqui. Este é um antimanual: foi criado para mostrar que nem sempre há certo ou errado quando o assunto é maternidade. Para desconstruir (e rir) dos mitos que às vezes nos fazem sentir inseguras, culpadas ou nos fazem perder muitas noites de sono à toa. Este livro é um abraço apertado em cada mãe que às vezes erra, sempre querendo acertar, e às vezes acerta, tendo certeza de que, no fundo, está errando.
Eu sentia vontade de jogar móveis, roupas e pessoas fora, mas não podia, vai passa, Rita, vai passar.
Sim, eu era uma ótima mãe. Até que meu filho nasceu. 
Livro cedido em parceria pela editora Belas Letras

Primeiramente queria comentar sobre as edições da editoras Belas Letras, eles capricham muito nas ilustrações dos livros, mas confesso que o que mais chama minha atenção é a paleta de cores que eles utilizam em cada uma das suas edições, em Mãe sem manual não é diferente o livro é capa dura, com ilustrações e fontes diferenciadas, enfim adoro as edições dessa editora.

Mãe sem manual foi publicado em 2017 e todos os parceiros da editora receberam o livro com uma garrafa e marcadores, foi o kit de boas vindas da editora.

Rita Lisauskas começa nos relatando a partir do dia 25 de junho de 2009, o dia que realizou a fertilização in vitro, ela nos conta através de relatos sinceros e engraçados a dura realizada da maternidade, e deixa bem claro que quando o assunto é maternidade não existe certo ou errado.

Em doze Rita menciona os palpites que não tem fim durante esse período, o parto, visitas, amamentação, relação mãe e filho, trabalho e outros tantos assuntos relacionados.

Este é um antimanual: foi criado para mostrar que nem sempre há certo ou errado quando o assunto é maternidade. Para desconstruir e rir dos mitos que às vezes nos fazem sentir inseguras, culpadas ou perder muitas noites de sono à toa.

É um livro fácil, leve e divertido de ser lido, com certeza para quem é mãe ou pretende encarar a maternidade é um livro bem interessante, tenho certeza que identificação irá acontecer.

Observações sobre o autor/livro:

Rita Lisauskas, é jornalista, apresentadora de telejornal e blogueira. Quando o filho Samuca nasceu em 2010, ela começou escrever sobre a jornada insana da maternidade, que nem de longe se parecia com as propagandas de sabonete para bebê. Nasceu assim o blog "Ser mãe é padecer na internet", que passou pela revista TPM e depois migrou para o portal do jornal O Estado de São Paulo. Mãe sem manual foi publicado pela editora Belas Letras (2017) com 110 páginas. Classificação: 4/5.

Disputa Literária: Aline X Brubs [Agosto/2017] + Sorteio de marcadores


27/07/2017
Aline Nascimento


Olá corujas no mês de Agosto, nós (Aline e Bruna) voltamos como nosso projeto Disputa Literária, escolhemos quatro livros, eu dois e a Brubs dois e vocês tem o poder de escolher qual livro vamos ler em Agosto (apenas um entre os quatro), o livro mais votado será lido pelas duas e terá resenha dupla aqui no blog, vocês não saberão qual foi os livros escolhidos por cada uma, vamos divulgar apenas com o resultado, ou seja escolham aquele livro que vocês realmente querem ver a resenha por aqui...

Lembrando que na última disputa o livro escolhido foi da Brubs, ou seja, o placar está 1 Brubs X 0 Aline. Contamos muito com os votos de vocês, e é super rápido.

A votação encerra dia 31/07.

Aos que votarem peço que deixem um comentário com e-mail abaixo, ao fim da votação será sorteado um kit com 10 marcadores aleatórios e 5 marcadores do blog. 



O sorteio dos marcadores foi realizado pelo random.org e liberado no stories do blog @divagandopalavras (siga nós por lá) a ganhadora foi Érika Rufo.
Tivemos treze votos e o livro À primeira vista do David Levithan e Nina Lacour ganhou com 46,2% (6 votos); esse será o livro lido e resenhado aqui no blog. Obrigada a todos pela participação. Beijos