O canto mais escuro da floresta, Holly Black


14/07/2017
Brubs.

Uma história repleta de magia e mistérios, da autora de As Crônicas de Spiderwick

Hazel e seu irmão, Ben, moram em uma cidade onde humanos e fadas convivem. A magia aparentemente inofensiva desses seres atrai turistas de todas as partes, que querem ver de perto as maravilhas do lugar e, principalmente, o garoto de chifres e orelhas pontudas que descansa em um caixão de vidro. Hazel e Ben eram fascinados pelo garoto quando crianças. Mas, à medida que crescem, as histórias e teorias que inventavam perdem o encanto. Eles sabem que o garoto de chifres nunca acordará... Até que um dia ele acorda. Agora, os irmãos precisam se tornar os heróis que fingiam ser em suas brincadeiras e desvendar os mistérios que envolvem aquele príncipe com chifres.

Livro cedido em parceria pela Galera Record

O que me chamou atenção para esse livro, foi claro a capa, essa capa cheia de flores é muito linda. E outra coisa que fiquei curiosa é por ser de Holly Black, pois, abandonei outro livro dessa autora, Boneca de Ossos lançado pela Editora Novo Conceito, então quando a Aline disponibilizou esse livro para eu poder ler, fiquei curiosa, ansiosa e cismada, com medo de no fim ter o mesmo resultado de Boneca de Ossos.

Mas ao iniciar a leitura percebi o quanto iria ser positivo, e foi realmente muito bom. Uma história totalmente fantástica, que juntou seres da floresta: duendes, fadas e monstros. 

O canto mais escuro da floresta é bem isso que está representado na sinopse, um cidade mágica, onde humanos e seres mágicos convivem, porém existem regras a seguir...

O canto mais escuro é uma leitura que nos prende que nos transporta para junto de Hazel e Ben. Onde nos faz querer desvendar o tal mistério do garoto de chifre que se encontra dormindo em uma caixa de vidro. Chamado pelos irmãos Hazel e Ben de Príncipe, só que Hazel e Ben não imaginam a confusão que esse Príncipe vai trazer quando acordar.

Como já disse é uma ótima leitura, mas, muitas coisas sobre a cidade e os seres mágicos ficaram sem esclarecimento, nada que venha atrapalhar a leitura, porém, para alguns leitores mais críticos e chatos isso irá incomodar. Também senti falta de uma adrenalina, e achei o final meio fraquinho, de resto o livro está ótimo.

Parabenizo também a editora, pois a capa além de muita bonita e fazer a jus a ideia de chamar atenção para o livro é muito linda. Por fim dou 4 estrelas para o livro e recomendo a todos, principalmente para os amantes de fantasia, lembrando das ressalvas que mencionei acima.

Observações sobre o autor/livro:

Holly Black (New Jersey, 10 de novembro de 1971), é uma escritora norte-americana que mora em West Long Beach, New Jersey. Ela ficou mundialmente famosa após escrever a série de livros Spiderwick. O canto mais escuro da floresta foi publicado aqui no Brasil pela editora Record no selo da Galera Record em 2017 pelo selo da editora Galera Record, com um total de 294 páginas. Classificação 4/5.

Alma Vampira, Ju Lund


09/07/2017
Brubs.

Um romance queer chick. Os vampiros se revelaram ao mundo, mas ainda sofrem muitas desconfianças dos humanos. Apaixonadas Duda e Esther precisam lidar com todos os tipos de discriminação por serem de raças diferentes e ambas do mesmo sexo. Será que o amor delas sobreviverá a segredos e ao fanatismo? Descubra nesse romance com toques de drama e mistério. Entre de cabeça no universo fantástico criado pela escritora Ju Lund.







Resenha adaptada do antigo blog.

Alma Vampira é a continuação de Doce Vampira. Ao iniciar a leitura, me vi novamente naquela bela história, me prendi logo de cara. Porém foi um leitura que demorou um pouco pra ser concluída, pois a leitura foi por e-book.

Nesse livro, Duda é levada pelos semeadores e perdeu a memória, tudo o que ela sabia sobre sua amada ficou guardado em algum lugar dentro dela. Esther não aguenta ver a confusão de Duda e age de modo totalmente inesperado para tentar reativar a consciência de sua amada.

Ju Lund escreve muito bem, ela consegue se manter focada na história, não há rodeios. Alma Vampira inicia no exato momento que Doce Vampira terminou.

Em Alma Vampira fica claro o amadurecimento da autora, assim como a mudança das personagens, algo que para mim foi bastante positivo. Quando eu achei que tudo entre Duda e Esther estaria resolvido a história nos leva para outro lado e, pelo que entendi, terei que esperar pela continuação. Obrigada Ju Lund por me matar de ansiedade. Vou tentar falar com a autora e saber de uma continuação, porque preciso/necessito saber.

Em breve resenhas de mais outros livros da autora.

Obsevarções sobre o autor/livro:

Ju Lund é amante das artes, gaúcha nasceu em Pelotas é técnica em turismo e hotelaria, graduanda em Artes Visuais (Licenciatura), é editora e fundadora de um portal de incentivo à literatura. Apaixonada por seus três gatos e mãe do Joan. '' Transforma seus melhores sonhos e piores pesadelos em contos e romances''. Doce Vampira foi publicado pela editora Avec com um total de 200 páginas. Classificação 4/5

A mamãe é rock, Ana Cardoso


04/07/2017
Aline Nascimento


Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho natural, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família e é sobre as mães também, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube e se torna uma delas. Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. Aqueles que leram O papai é pop estão convidados a conhecer o lado mais in/tenso da experiência. A mamãe é rock é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para criar suas filhas.

Em formato de crônicas Ana Cardoso nos apresenta passagens da sua vida maternal, Anita e Aurora suas filhas e seu marido Marcos Piagers (autor do livro O papai é pop) são personagens dessas histórias que ela nos apresenta.

Ana nos fala um pouco sobre os relatos do seu dia a dia como mãe, como a maternidade tem dias que pode ser leve, engraçada e até assustadora.

Não existe uma pessoa perfeita e muito menos uma mãe perfeita, e é isso que Ana nos passa durante a leitura desse livro, ela nos mostra que a maternidade é feita de erros e acertos, mostra como as causas que acreditam como o feminismo por exemplo é repassada de forma sutil às vezes sem mesmo que a família perceba para suas filhas, principalmente para Anita sua filha mais velha. A autora nos mostra como é difícil mas possível ser ao mesmo tempo esposa, profissional, mãe, cozinheira, dona de casa, professora e mais mil e uma utilidades durante apenas um dia de vinte e quatro horas.

Como já mencionei em outras postagens tudo relacionado ao assunto de maternidade está ganhando minha atenção mais fácil durante essa fase, e com esse livro não foi diferente, assim que recebi de parceria da editora Belas Letras comecei a ler, li em menos de uma hora, são crônicas fáceis e curtas de ser lidas, além disso o livro tem algumas páginas que são interativas o que torna a leitura mais rápida ainda, indico o livro principalmente para as mamães e futuras mamães tenho certeza que identificação vai acontecer.

Observações sobre o autor/livro:

Ana Cardoso, nasceu em Curitiba no ano de 1977. Mudou-se para Florianópolis em 1999, onde trabalhou com esportes radicais na Rádio Atlântida por seis anos, pesquisou rádios e assentamentos do MST e concluiu mestrado em Sociologia Política. Aos 26 virou feminista, aos 27 casou com jornalista Marcos Piagers, aos 28 teve sua primeira filha, Anita. Aurora nasceu sete anos depois. Vive em Porto Alegre desde 2006, envolvida até o último fio de cabelo com pesquisas sociol[ogicas, grupos feministas e a família. A mamãe é rock foi publicado pela editora Belas Letras em 2016 com 107 páginas. Classificação 3/5.

Cidade dos Etéreos - O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares 2, Ransom Riggs


21/06/2017
Brubs.

Neste segundo livro, o grupo de peculiares precisa deter um exército de monstros terríveis, e a srta. Peregrine, única pessoa que pode ajudá-los, está presa no corpo de uma ave. Jacob e seus novos amigos partem rumo a Londres, cidade onde os peculiares se concentram. Eles têm a esperança de, lá, encontrar uma cura para a amada srta. Peregrine, mas, na cidade devastada pela guerra, surpresas ameaçadoras estão à espreita em cada esquina. E, além de levar as crianças a um lugar seguro, Jacob terá que tomar uma decisão importante quanto a seu amor por Emma, uma das peculiares. Telecinesia e viagens no tempo, ciganos e atrações de circo, malignos seres invisíveis e um desfile de animais inusitados, além de uma inédita coleção de fotografias de época — tudo isso se combina para fazer de Cidade dos etéreos uma história de fantasia comovente, uma experiência de leitura única e impactante.

A sinopse já ajudou bastante, vamos direto ao ponto. Demorei um pouco para ler esse segundo livro da série, a verdade era porque não tinha dinheiro para comprar, mas a linda Amazon me ajudou e já comprei esse e sua sequência, numa linda promoção de livro.

Cidade dos etéreos acontece tudo isso que está descrito na sinopse. Confesso que gostei mais desse livro que do anterior, o livro mostrou um enorme amadurecimento, com muito mais aventuras e suspense.

Nesse livro a luta das crianças peculiares em tentar salvar sua amada Srta Peregrine é o que nos prende e nos faz torcer para dar certo. Apesar de assim como no livro anterior, nesse também me incomodou um pouco os detalhes descritos, mas a história foi tão bem escrita que no fim nem liguei tanto pra isso.

No final eu achei que seria a parte mais emocionante, onde achei que teria brigas e matança, mas não, simplesmente acabou. Em breve vou ler sua sequência e trago para vocês o que achei.

Não sei, se terá um possível filme dessa sequência, mas se tiver, espero que não seja tão Disney. 

Observações sobre o autor/livro:

Ransom Riggs, nasceu no estado de Maryland em 1979 e cresceu na Flórida, onde frequentou a escola Pine View School for the Gifted. Ele estudou literatura inglesa no Kenyon College e estudou cinema na Universidade do Sul da Califórnia. Cidade dos Etéreos (O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares #2) foi publicado Intrínseca com 384 páginas. Classificação 5/5.

O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, Ransom Riggs


09/06/2017
Brubs.

A História começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas. “Mesmo sem as fotos, esta seria uma história emocionante, mas as imagens dão um irresistível toque de mistério.



Vou direto ao que achei do livro, pois a sinopse acima já passou uma boa ideia da história.

Lembro que assim que lançou esse livro fiquei louca de vontade para ler, porém, demorou bastante até eu adquirir o mesmo. Li pouco antes de ir assistir o filme, vou aproveitar para comentar aqui também.

O Orfanato da Srta. Peregrine é um livro muito bom, de fantasia, onde trás pessoas com incríveis peculiaridades, dons diferentes, que são caçadas por acólitos, achei que seria uma história impressionante e de fato foi, porém que  venho reclamar é essa maldição por fazer livros em série de 3 ou mais livros, acabou que esfriou todo encanto do livro. O livro se tornou por vezes maçantes, senti que enrolaram na história, para deixar algo pro o livro seguinte, sem esquecer que é uma história bastante detalhada, então se você não gosta disso, tenha paciência.

Mesmo se tornando um livro maçante continuei presa a história e devo dizer que gostei bastante, personagens muito bem escritos, mesmo com a descrição na história a autora não se perdeu, soube se manter por cima. As fotos que aparecem nos livros são perfeitas, dá todo um charme ao livro, parabéns pela ideia...É uma história que eu indico, com certeza.
Sobre o filme devo dizer que foi bem fiel, algumas mudanças, mas normal, nem tudo dá para adaptar, minha reclamação é que o filme foi muito Disney, algo bem fantasioso, bem juvenil. Quando li, na minha opinião senti suspense, então imaginava algo assim no filme, mas foi bem Alice no país das Maravilhas, não estou falando que é ruim, eu que tive outra visão, mas em suma, o filme também é muito bom. Por isso para ambos dou 4 estrelas.

Observações sobre o autor/livro:

Ransom Riggs, nasceu no estado de Maryland em 1979 e cresceu na Flórida, onde frequentou a escola Pine View School for the Gifted. Ele estudou literatura inglesa no Kenyon College e estudou cinema na Universidade do Sul da Califórnia. O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares foi publicado no Brasil primeiro pela editora Leya em 2015 com 336 páginas, no ano seguinte 2016 o livro também foi publicado Intrínseca com 384 páginas. Classificação 4/5.

Sobreviventes do Caos, Bianca Gulim


02/06/2017
Aline Nascimento

Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.
Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada.
Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais crueis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor.
Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio?
Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!

Em 2222 surge um vírus letal, uma praga que está acabando com a raça humana, um único país consegue descobrir a cura para essa praga, Estados Unidos, porém com os desespero e a urgência em sobreviver as pessoas começam invadir o país e assim está estalada uma nova guerra mundial.

Já em 2223 um número reduzido de povos conseguiram sobreviver a praga e a guerra, somos levados ao grupo de Celine, ela apesar de jovem é a líder dos guerreiros, seu irmão mais velho Júlio é o líder do seu povo, Celine após a traição do seu pai e a perda bruta da mãe recebeu treinamento desde cedo, seu irmão ensinou tudo o que um guerreiro deve saber.... lutar, pensar, ser estrategista, reconhecer inimigos, sentir e escutar os sons da floresta. Celine é uma das melhores guerreiras.

Júlio parti em uma missão e automaticamente Celine é a responsável pelo seu povo, mas ela tem certeza que algo está errado, pouco antes da partida do seu irmão ele fez uma aliança com Jafar líder dos aligortes, enquanto Celine está responsável pelo acampamento não demora muito para Jafar mostrar que é um inimigo e fará de tudo para começar uma guerra e acabar com a liderança de Celine.

Celine poderá contar com apoio do seu povo, seus guerreiros e seus amigos, entre eles Darion seu melhor amigo e melhor estrategista que conhecemos, Max um guerreiro frio desde que o assunto não seja Celine sua garota, e Luke um caçador que também fará os olhos de Celine brilhar, porém será que são todos amigos e Celine poderá colocar sua vida e a vida do seu povo na mão desses amigos?

Bem no começo do história achei o linguajar pesado, achei que a narrativa inteira seria assim, porém com o decorrer da narrativa percebi que não, apenas alguns personagens usava um linguajar com palavrões o que na minha opinião foi muito bacana pois isso trouxe mais personalidade para cada um. O livro contém algumas cenas de sexo, e tem muita ação o que torna uma história muito envolvente. Quando recebi o e-mail da Bianca confesso que fiquei meio balançada em fazer parceria, não por ser um livro nacional pelo contrário quem me acompanha aqui sabe que incentivo muito a leitura de livros nacionais e tenho ótimas parcerias, mas o meu maior receio era por ser um e-book afinal nunca tinha lido um livro nesse formato, mas como distopia é o meu gênero preferido resolvi arriscar, foi minha primeira leitura do mês de maio e apesar de ler no notebook li em apenas dois dias, tinha muita vontade em saber como a Bianca conduziria aquela história.... enfim já falei muito, espero que em breve a Bianca publique o segundo e eu possa dar continuidade nessa história fantástica, acho que já deu para perceber que eu super recomendo essa leitura né.

Observações sobre o autor/livro:

Bianca Gulim, tem 27 anos, nasceu e mora em São Paulo. Formada em Administração, com especialização em Recursos Humanos, hoje se dedica totalmente à escrita. Sempre foi leitora voraz de ficção e fantasia, com uma forte tendência a sagas distópicas e vampirescas. Começou a escrever seu primeiro livro 2323: Sobreviventes do Caos em 2015, publicou de forma independente em formato de e-book. Classificação: 4/5

Doce Vampira, Ju Lund


29/05/2017
Brubs.

UM ROMANCE QUEER CHICK. Os vampiros se revelaram ao mundo, mas ainda sofrem muitas desconfianças dos humanos. Apaixonadas Duda e Esther precisam lidar com todos os tipos de discriminação por serem de raças diferentes e ambas do mesmo sexo. Será que o amor delas sobreviverá a segredos e ao fanatismo? Descubra nesse romance com toques de drama e mistério. Entre de cabeça no universo fantástico criado pela escritora Ju Lund.






Antes de tudo, essa resenha foi adaptada do no meu antigo blog.

Eduarda é uma garota humana normal, ela se envolve com Ester (vampira). Tudo começa bem para Duda e Ester, porém os pais de Duda não aceitam o relacionamento delas. Por isso, Duda foge com Ester e acaba indo para casa de sua vampira e lá Duda conhece a família de sua amada e os mistérios que ronda a mesma. O que Duda não sabe e nem imagina, na verdade, ela imagina mas foge do assunto é que o amor dela por Ester será posto em prova. Será que ela irá ficar eternamente ao lado de sua amada? E os pais de Duda aceitará esse relacionamento? 

Esse livro superou as minhas expectativas, desde quando o vi pelo twitter a primeira vez, já me interessei e me apaixonei pela sinopse, acho que por causa do romance homossexual entre vampiros, isso me chamou tanto atenção, eu queria saber como a autora iria trabalhar com o tema, já que é um tema que gera discussões.

O livro me lembrou um pouco Crepúsculo, porque envolve o tão clichê: humano ama vampiro. Mas a Ju Lund foi esperta e fez uma personagem legal e não chata como a Bella, ta certo que por algumas vezes quis bater em Duda, ela é manhosa e teimosa! Outro ponto que achei legal é que os vampiros nessa história são aceitos na sociedade, tipo são registrados e eles tem que cumprir algumas regras e assim podem viver normalmente, porém, ainda recebem aqueles olhares...

Ju Lund também abordou o tema homossexual com uma maestria impressionante, usou e abusou da sexualidade feminina que somada com o ser vampiresco já tem esse lado sexy, ficou sexy ao triplo... Sem esquecer da elegância, que aparece desde da capa do livro, passando pela diagramação e terminando nas duas personagens principais, não posso esquecer das citações de música francesa/italina (?) que também deu uma certa elegância. Realmente Ju Lund arrebentou a boca do balão.

A escrita da Ju é super simples, corrida, ela não enrola em momento algum, vai direto ao ponto, os capítulos são curtos e os personagens bem criados, apesar que senti necessidade do irmão e do pai da Ester aparecerem mais, porém creio que eles irão aparecer no próximo livro. E sim, é uma série! Que por enquanto são só 2 livros.

Por ser o primeiro livro, além de introdutório, Doce Vampira nos presenteia com ação e suspense e termina com aquela necessidade de ter o próximo livro nas mãos. Como já o li, em breve trago resenha pra vocês de Alma Vampira.

Obsevarções sobre o autor/livro:

Ju Lund é amante das artes, gaúcha nasceu em Pelotas é tecnica em turismo e hotelaria, graduanda em Artes Visuais (Licenciatura), é editora e fundadora de um portal de incentivo à literatura. Apaixonada por seus três gatos e mãe do Joan. '' Transforma seus melhores sonhos e piores pesadelos em contos e romances''. Doce Vampira foi publicado pela editora Ornitorrinco com um total de 208 páginas. Classificação 5/5